POLÍTICA  

Aliel destaca importância do Plano Nacional de Educação

Parlamentar diz que com execução do PNE país resolveria boa parte dos problemas educacionais

Membro titular da Comissão de Educação na Câmara dos Deputados desde o início do primeiro mandato, o deputado federal Aliel Machado (PSB) destacou a importância da execução do Plano Nacional de Educação (PNE) como prioridade para o país na próxima legislatura. Aprovado pelo Congresso Nacional em 2014, o Plano tem vigência de 10 anos, mas ainda está aquém de ser implementado integralmente.

Em entrevista a um site de Goiania, Aliel alertou que o maior desafio é implementar o PNE. “O Plano foi debatido de maneira muito ampla em todo o Brasil. Entendeu as particularidades, os problemas da educação brasileira desde o nível básico até a educação superior. Com a execução do PNE nós resolveríamos, pelo menos em parte, os problemas educacionais do Brasil. Acontece que com a crise econômica, nós estamos naufragando na tentativa da implementação e as metas ali estabelecidas não serão possíveis por vários fatores, um deles, talvez o principal, a retirada de recursos. Sem dinheiro não dá para fazer política pública”, avaliou.

Um dos avanços do PNE foi, por exemplo, ter alcançado o índice de 92% de crianças entre 4 e 5 anos na educação infantil. Por outro lado, no item que trata da formação de jovens e adultos integrada à educação profissional, o índice está muito abaixo do previsto até 2024. A meta é oferecer, no mínimo, 25% das matrículas de educação de jovens e adultos, nos ensinos fundamental e médio, com cursos profissionalizantes. Em 2015, o percentual era de 3%, mas esse índice caiu para 1,5% em 2017.

“A educação sempre foi uma de nossas bandeiras, desde o movimento estudantil. Participei, mesmo sem mandato, da elaboração do Plano Nacional. E agora, como deputado e membro da Comissão de Educação, temos a obrigação de lutar pela sua implementação integral. Com isso podemos mudar o país de uma vez por todas”, disse Aliel.

Para 2019, a expectativa é que o tema continue sendo discutido. Afinal de contas a educação envolve 49 milhões de estudantes, baixos índices de aprendizagem e quase três milhões de crianças e jovens fora da escola.