NECROPSIA  

Tatiane Spitzner foi jogada sem vida da sacada, aponta laudo

Documento do IML foi entregue em mãos às 15h30 desta quinta-feira, 20 de setembro, para a promotora Dúnia Serpa Rampazzo

Tatiane Spitzner: morta por asfixia mecânica (Foto: Reprodução)

 

Por Jonas Laskouski

 

A 12ª Promotoria do Ministério Público do Paraná recebeu na tarde desta quinta (20), o laudo do exame de necropsia do Instituto Médico-Legal (IML) confirmando que Tatiane Spitzner foi morta por asfixia mecânica, causada por esganadura e com sinais de crueldade, o que indica que ela foi jogada sem vida da sacada do apartamento 403 do Edifício Golden Garden, onde morava com o então marido, Luís Felipe Manvailer. Ele está preso na Penitenciária Industrial de Guarapuava e sempre negou as acusações. O ex-professor é réu no processo por feminicídio.

 

Manvailer agrediu a esposa violentamente, mostraram imagens de câmeras de segurança (Foto: Reprodução/Facebook)

 

A informação foi divulgada pelo diretor do IML, Paulino Pastre ao G1 Paraná e confirmada ao Extra Guarapuava pelo agente de perícia e chefe administrativo do IML de Guarapuava, Obadias de Souza Lima Junior.

Segundo Pastre, o estudo feito pelos médicos legistas de Guarapuava indicava, desde o início, que se tratava de uma morte violenta, utilizando-se de constrição do pescoço, o que é chamado de esganadura.

“Todo o procedimento pericial realizado confirmou unanimemente, tanto os exames complementares realizados em Curitiba como o exame necroscópico lá em Guarapuava, que a Tatiane morreu e posteriormente caiu do prédio”, disse o diretor do IML.

Ainda conforme o diretor, o exame toxicológico indicou elevado grau de alcoolemia no corpo de Tatiane.

“O que sugere que ela estava bastante fragilizada até para se defender no momento”, afirmou.

G1 entrou em contato com a defesa de Luis Felipe Manvailer, que informou que em breve vai enviar uma posição.

A promotora Dúnia Serpa Rampazzo, que recebeu em mãos o exame do IML, deve se pronunciar a qualquer momento.