ENTREVISTA  

“Qualquer tipo de poluição ambiental é extremamente preocupante. Mas só podemos fazer a fiscalização se houver denúncias”, Celso Araújo

Secretário concedeu entrevista ao Jornal Extra Guarapuava onde falou dos avanços nas melhorias parques, lagos, praças e espaços públicos, bem como sobre problemas crônicos que envolve o descarte de lixo e a proteção ao Meio Ambiente

Por João Muniz

 

 

Guarapuava ganhou visibilidade e vem recebendo centenas de visitantes aos finais de semana e feriados. Para chegar a esses resultados foram desenvolvidos projetos de planejamento, que incluiu a estruturação de parques, praças e pontos turísticos. A secretaria de Meio Ambiente teve uma participação fundamental nos resultados obtidos até agora. Mas como uma cidade em desenvolvimento surgem novos gargalos. A nossa reportagem conversou com o secretário de Meio Ambiente, Celso Araújo, com alguns questionamentos. Confira alguns tópicos da entrevista.

 

Jornal Extra- Qual a sensação em ver alguns resultados, com a presença da população e visitantes nos parques, praças e lagos?

Celso Araújo – Os espaços públicos são de toda a população. Então, quando vemos que aos finais de tarde e aos finais de semana as praças estão sempre cheias, sentimos uma boa sensação, porque isso demonstra que a atual administração está no caminho certo. Cuidando dos parques e das praças, promovendo eventos a céu aberto e o mais importante: incentivando a população para que ocupem os espaços públicos, seja para passear, fazer exercícios, praticar esportes ou ainda tomar um bom mate e bater um papo com os amigos!

 

Jornal Extra- De que forma a secretaria está trabalhando para combater o vandalismo nesses espaços públicos?

Celso Araújo – Além de todo trabalho de Educação Ambiental, existe a ronda da prefeitura que circula pelos espaços públicos. Mas é importante lembrar que a imprensa tem um papel fundamental nessa questão: ajudar o poder público na conscientização da população. As pessoas precisam entender que o espaço público pertence a todos, então é dever de cada um cuidar daquilo que é nosso. Seja através de denúncias na Ouvidoria do Município (156) ou na secretaria de Meio Ambiente: (42) 3624.2214.

 

Jornal Extra- Afluentes que cortam a cidade de Guarapuava é motivo de orgulho para alguns moradores e preocupação para outros. Existem projetos de despoluição desses riachos?

Celso Araújo – A secretaria de Meio Ambiente trabalha para evitar e combater a poluição dos rios, córregos e riachos que passam pelo município. Por exemplo, nenhuma oficina e lava car tinha licença ambiental para executar o serviço. Depois que houve a descentralização ambiental e secretaria Municipal do Meio Ambiente assumiu a liberação das licenças, passamos a exigir licenciamento para todas as oficinas e lava-cars. A partir do momento em que recebem a licença é porque já estão cumprindo com as normas para evitar qualquer tipo de poluição ambiental.

 

Jornal Extra- Moradores de chácaras próximo ao Cemitério Municipal na região do Residencial 2000 estão reclamando do volume de graxa ou gordura que invade as propriedades em dias de chuvas. Isso preocupa a secretaria e quais medidas para amenizar o problema?

Celso Araújo – Qualquer tipo de poluição ambiental é extremamente preocupante. Mas só podemos fazer a fiscalização se houver alguma denúncia. Com essas informações os fiscais foram até o bairro, mas não encontraram nada e até o momento a secretaria de Meio Ambiente não recebeu nenhum tipo de comunicação sobre esse assunto para que nossos fiscais possam avaliar a situação. As denúncias de poluição ambiental podem ser feitas diretamente na secretaria de Meio Ambiente.

 

Jornal Extra- Uma lixeira as margens da BR 277 tem sido motivo de manifestações da população. O que fazer para resolver isso?

Celso Araújo- O descarte correto dos resíduos sólidos deverá atender a lei da política nacional dos resíduos sólidos; ou seja; primeiro deverá diminuir a geração, reaproveitar o máximo possível, isso envolve reciclar e separar tudo que for possível, levando para o aterro sanitário, somente o rejeito, para isso temos investido bastante na educação ambiental da população. Cabe ressaltar, que já melhoramos bastante, mas ainda temos que continuar orientando, para atingirmos índices melhores.