Segurança  

Novas Casas de Custódia atenderão Guarapuava e mais cinco cidades

Medida foi confirmada pela governadora Cida Borghetti em reunião com o prefeito de Guarapuava, César Silvestre Filho

Fonte: Agência de Notícias do Paraná

A governadora Cida Borghetti autorizou  a contratação de projeto para a construção da Casa de Custódia de Guarapuava, na região central do Paraná. Com a construção, 512 vagas deverão ser abertas solucionando o problema de superlotação da delegacia da cidade.

A autorização foi dada durante encontro com o prefeito César Silvestre Filho e lideranças da região, em reunião no Palácio Iguaçu, ontem,  segunda-feira (11). A demanda havia sido apresentada pelo prefeito na última sexta (8), quando a governadora esteve em Guarapuava.

Além de Guarapuava, foram autorizados projetos para Casas de Custódia no Norte Pioneiro e Litoral, em municípios a serem definidos, Cascavel, Ponta Grossa e Maringá. “Esta é a resposta do novo modelo de gestão do Governo do Estado, ágil e rápido e com soluções definitivas para um problema que se agrava a cada dia”, afirmou a governadora.

Cida determinou, também, que os projetos incluam sustentabilidade ambiental, como energia solar e captação de água da chuva, além de celas adequadas para a acomodação dos presos. “Se queremos cidades modernas, sustentáveis e inovadoras, temos adotar tecnologias em todas as áreas”, explicou.

VAGAS

O secretário especial da Administração Penitenciária, coronel Élio de Oliveira Manuel, informou que, somando as seis Casas de Custódia que serão construídas e as unidades prisionais que estão em andamento, serão criadas 10 mil vagas no sistema penitenciário do Estado. “A demanda das próximas duas décadas será suprida e o Paraná será referência no Brasil em resolutividade do problema carcerário”, disse.

RESPOSTA RÁPIDA

A Casa de Custódia de Guarapuava desativará a carceragem da Delegacia de Polícia, que é localizada em uma região central da cidade, próxima a uma escola e da Unidade de Pronto Atendimento. A carceragem incomoda a população, devido aos riscos de fuga dos presos.

O local tem capacidade para receber 166 pessoas e conta hoje com 360 presos. “O Estado deu uma resposta rápida para o pleito. O grande mérito dessa luta é viabilizar a desativação do cadeião do centro da cidade, que é um problema sério de segurança”, disse o prefeito de César Silvestre Filho.

 

 


Notícias Relacionadas