Entrevista  

Marcio Pauliki defende nova licitação para os pedágios e hospitais oncológicos para a região

FOTO. Redação

Nesta semana a central de jornalismo do Jornal Extra Guarapuava conversou com o deputado estadual, Marcio Pauliki (Podemos), que fez uma análise da atual conjuntura política e o seu futuro político, que tem como objetivo uma cadeira no Congresso Nacional. Confira alguns tópicos da entrevista.

Como define este momento político?

Marcio Pauliki- Eu avalio como um ano de colheitas de resultados, onde estamos percorrendo somente nesta semana doze cidades do Estado. Serão mais de R$ 2 milhões em recursos via emendas parlamentares, como também visitando algumas entidades filantrópicas, entidades estas que receberam mais de R$ 2 milhões em recursos via Nota Solidaria, oriundo de um projeto de nossa autoria. Considerado um dos melhores repasses sociais feito a nível de Brasil, que acontece aqui no Paraná. A verdadeira política de resultados.

Ao mesmo tempo que senhor defende o Hospital do Câncer para Guarapuava, também está à frente de um hospital para Ponta Grossa. Realmente isso será prioridade num futuro governo?

Marcio Pauliki- Dos 650 mil casos que temos no país, o Paraná representa quase 12%, em incidência de câncer, por isso a necessidade de transformarmos o Estado numa referência em assistência neste setor para a população. Nós vemos os parlamentares locais unidos em Guarapuava em prol do Hospital do Câncer, isso é de suma importância para obtermos as conquistas e melhorias para a comunidade local e regional.  Um hospital em Ponta Grossa certamente vai atender toda demanda do Centro-Sul e Campo Gerais e Norte Pioneiro. Tratamentos para leucemia, linfomas, também estamos pleiteando mais seis centros cirúrgicos para o Hospital Regional de Ponta Grossa. O meu maior desafio é lutar pelo hospital de oncologia infantil para região.

O senhor esteve essa semana com o novo chefe da Casa Civil, Dirceu Sperafico, o que espera de novo governo com Cida Borghetti?

Marcio Pauliki- Além da incrementação da Nota Paraná, do Instituto do Câncer, como presidente da Comissão de Indústrias de Comércios eu tenho trabalho no projeto de distritos regionais, que tem como objetivo criar polos regionais, onde o Estado terá a função de levar as empresas, com o ICMS sendo distribuídos entre seis ou sete cidades. Fazendo com que uma região seja altamente competitiva com outras regiões. O novo governo terá um bom tempo de trabalho e acredito que não vai deixar de apoiar nossas demandas e projetos.

Acredita numa aliança política entre Osmar Dias e Ratinho Junior?

Marcio Pauliki- Poderá ocorrer se o Osmar Dias for candidato ao governo e o Ratinho Junior ao Senado. Tenho ajudado o Osmar na construção do seu plano de governo, principalmente no setor de desenvolvimento econômico, onde queremos oferecer um projeto inovador, mas também que contemple a experiência. Osmar é leal, é ficha limpa e é o governador que Paraná merece.

Existe uma evidente lacuna a nível de Centro-Oeste e Centro-Sul da falta de representatividade de deputado federais, o seu projeto de deputado federal pretende cobrir está lacuna?

Marcio Pauliki- Eu espero cumprir com a renovação do Congresso Nacional, nestes três anos e meio aprendi muito esta função de ser um político, tendo o conhecimento dos trâmites burocráticos, que além de legislar e fiscalizar, levar os recursos tão importantes para o desenvolvimento das regiões. Tanto Guarapuava como outras cidades precisam ter seus representantes. Os impostos arrecadados precisam retornar em benefícios para população. O Paraná enviou no último ano R$ 42 bilhões para União e recebeu somente R$ 9 bilhões de volta. Temos problemas crônicos em infraestrutura, na saúde e outros setores, por isso a necessidade de ser ter uma representatividade forte em Brasília.

Guarapuava teve há poucos dias a inauguração de um shopping e agora os olhares se voltam ao Aeroporto Regional, como vê isso?

Marcio Pauliki- Quando fui presidente da Associação Comercial em Ponta Grossa, uma das minhas primeiras propostas era a reformulação do aeroporto, depois disso pudemos confirmar o quanto isso atrai novos investimentos para cidade e região. Muitas vezes nós sabemos dos investimentos que vieram, mas quantos investimentos deixaram de vir para Guarapuava, pela falta de um aeroporto, de uma logística aérea. A região central do Paraná será uma das regiões que mais vai crescer a nível de país. O aeroporto vem para contemplar este novo ciclo administrativo e econômico de Guarapuava.

Osmar Dias aposta que senhor será um dos três federais que ele espera ver em Brasília, o maior anseio da sociedade é a questão dos pedágios, qual sua opinião sobre isso?

Marcio Pauliki- Fico muito à vontade em acompanhar o Osmar nesta caminhada, porque temos os mesmos pensamentos e objetivos para o desenvolvimento do Estado. Eu faço parte da frente parlamentar contra a renovação dos atuais contratos dos pedágios, nós descobrimos há poucos meses, que os pedágios foram definidos não em quilometragem e sim em valores de 1997, então se corrige as tarifas, mas o valor de investimentos é a mesma de 1997, aquelas duplicações que esperávamos em 100% elas não vão acontecer. Eu sou empresário, sei que o Estado não consegue cuidar das rodovias, mas não podemos aceitar os pedágios serem administrados neste modelo, somos a favor de uma nova licitação em 2021 e contra qualquer renovação dos atuais contratos com a concessionárias.