respirando cultura  

Senhoras e senhores! A arte popular paranaense pede passagem

A aplaudidíssima Orquestra Paranaense de Viola Caipira, de Cascavel, abre oficialmente nesta terça, a II Mostra de Arte Popular do Paraná, no Teatro Municipal de Guarapuava. Sentimos, mas os ingressos estão esgotados

“Cada integrante sabe da responsabilidade de divulgar a cultura caipira. Então, o trabalho, dedicação, humildade e amizade reunidas, fazem com que estejamos na estrada mostrando o nosso trabalho”, diz o coordenador da renomada Orquestra que abre a Mostra nesta noite de terça (Foto: Reprodução)

 

Jonas Laskouski *Matéria publicada na edição impressa desta terça (16) e editada para a publicação neste espaço

 

Desde sua inauguração, o Teatro Municipal de Guarapuava, através da Secretaria de Educação e do Departamento de Cultura, está trazendo uma programação atrás da outra. A cidade está respirando cultura! Pelo menos, quem se permite a esse ar puro, fresco, renovador. Mal terminou o 7º Festival Cênico Guarapuava Abre as Cortinas no último sábado (13) e só foi o tempo de preparar o espaço para o evento que já começou nesta terça (16).

 

Já conhece essa belezura? Não?! Mostra de Arte é oportunidade sensacional para visitar “um dos mais bem estruturados teatros paranaenses”, segundo Fiani, secretário estadual de Cultura (Foto: Anderson Zacalusni)

 

Quem chega a Guarapuava é a II Mostra de Arte Popular do Paraná, uma promoção da Secretaria de Estado da Cultura (SEEC) em parceria com a Prefeitura de Guarapuava. A programação do evento conta com mesas redondas, debates, palestras, feira de artesanato, apresentações de danças típicas, como fandango, samba e hip hop, entre outras atrações. O objetivo é valorizar a produção artística cultural paranaense e viabilizar o acesso do público para essas manifestações populares. A abertura oficial do evento (veja abaixo) acontece às 19h30 no Teatro Municipal de Guarapuava, onde acontecem todas as atividades da Mostra (as informações são de assessoria).

“A cultura popular é a nossa identidade e temos que valorizar todas manifestações do Paraná. Esse evento contribui para que elas sejam ainda mais conhecidas. Sempre buscando descentralizar ações, a segunda edição acontece em Guarapuava, no recém inaugurado Teatro Municipal, um dos mais bonitos e bem estruturados do Estado”

A fala acima é do secretário de Estado da Cultura, João Luiz Fiani.

 

ATRAÇÕES

Neste primeiro dia de evento (16/10), às 9h, aconteceu a reunião do
Conselho Estadual da Cultura. Às 14h, foi aberta a Feira de Artesanato Paranaense, que vai funcionar durante os três dias do evento. A abertura oficial da Mostra acontece às 19h30, seguida da apresentação da renomada Orquestra Paranaense de Viola Caipira, de Cascavel, às 20h.

 

O Extra repete a imagem para reforçar a grandiosidade do show desta terça (Foto: Reprodução)

 

No dia 17, às 9h, acontece uma palestra sobre dinâmicas da tradição e da cultura popular no Brasil, com Liliana Porto. Na sequência, às 10h, a doutora em Antropologia da USP, professora Lorena Avellar, fala sobre culturas populares, políticas e direitos. À tarde, às 16h, tem apresentação com o Grupo de Fandango Mestre Brasilio, de Paranaguá, e às 17h, apresentação com o grupo de Cultura Indígena Jykre Há.

No último dia da Mostra (18/10), às 9h, acontece a palestra “Cultura Popular e Patrimônio Imaterial”, com a socióloga pernambucana Jacira Franca. Ainda pela manhã, uma mesa redonda, composta por técnicos e artistas populares, debate os desafios das manifestações populares e tradicionais. As atividades da manhã se encerram com a exibição do documentário “Benzedeiras de Ponta Grossa”.

 

A reprodução de manifestações folclóricas e populares das danças brasileiras e paranaenses no ritmos dos bailarinos do Grupo Fogança, de Maringá (Foto: Reprodução)

 

Durante a tarde, as atividades continuam: às 15h30, o Grupo Coletivo Afrossambas de Ponta Grossa se apresenta e às 17h é a vez da dança folclórica do Grupo Fogança, de Maringá. Às 18h20, o grupo de hip-hop Hustle Rockers, de Cascavel, que promete divertir o público.  No encerramento, quem se apresenta é o grupo SULReal I’a Crew, de Apucarana, também trazendo muito hip-hop.

A Mostra de Arte Popular atende à Lei Estadual 19.011/2017, que instituiu o Dia Estadual do Fandango em 29 de novembro e a Semana Estadual de Fomento ao Fandango, com início na mesma data. O evento é uma realização da Secretaria de Estado da Cultura com o apoio da Secretaria Municipal da Cultura de Guarapuava, Paraná Turismo e Conselho Estadual da Cultura (CONSEC).

 

PROGRAMAÇÃO COMPLETA

Terça-feira, 16 de outubro

9h às 18h – Reunião do Conselho Estadual da Cultura (CONSEC)
Abertura dos trabalhos com o secretário de Estado da Cultura, João Luiz
Fiani, no Küster Hotel, que fica na rua Getúlio Vargas, 1635, no Centro de Guarapuava

14h às 19h – Feira de Artesanato Paranaense

19h30 – Abertura oficial da Mostra de Arte Popular com o secretário de Estado da Cultura, João Luiz Fiani; o prefeito de Guarapuava, Cesar Silvestri Filho; e a representante do CONSEC, Doraci SengerLuy

20h – Orquestra Paranaense de Viola Caipira, de Cascavel

Quarta-feira, 17 de outubro

9h – Palestra: Dinâmicas da tradição e da cultura popular, com Liliana de Mendonça Porto

10h – Palestra: Culturas populares, políticas e direitos: entre a celebração e a luta, com Lorena Avellar, doutora em Antropologia Social pela Universidade de São Paulo e pós-doutoranda pelo Instituto de Artes da Unicamp

10h às 19h – Feira de Artesanato Paranaense

16h – Grupo de Fandango Mestre Brasílio, de Paranaguá

17h – Grupo Cultural Indígena Jykre Há, da reserva indígena Kaingang de Coronel Vivida

17h50 – Senhores da Música, de Ponta Grossa

19h – Quilombo Invernada Paiol de Telha, de Guarapuava

Quinta-feira, 18 de outubro

9h – Palestra: Cultura Popular e Patrimônio Imaterial: desafios e perspectivas, com a socióloga pernambucana, Jacira França

10h às 19h – Feira de Artesanato Paranaense

10h10 – Mesa-redonda com representantes das manifestações populares e tradicionais: Jacira Silva de França (socióloga, PE), Maria Czekaski (Fundação Cultural de Ponta Grossa), Vilma Neide Oliveira Rozera (benzedeira de Ponta Grossa), Maria Fernanda Campelo Maranhão (antropóloga do Museu Paranaense). Mediador: Isidoro Diniz

11h10 – Exibição do documentário “Benzedeiras de Ponta Grossa” (50 min)

O documentário “Benzedeiras de Ponta Grossa” é uma das atrações de quinta (Imagem: Reprodução)

 

15h30 – Grupo Coletivo Afrosambas, de Ponta Grossa

17h – Grupo Fogança, de Maringá

18h20 – Grupo de hip-hop Hustle Rockers, de Cascavel

19h – Encerramento com o grupo de hip-hop SULReal I’a Crew, de
Apucarana

Prestigie e bom espetáculo!