empoderamento  

Na ACROL, guarapuavanas participam de Curso de Mecânica

Mulheres de todos os bairros da cidade quebraram o paradigma de que não podem se envolver no assunto

Na prática, a manutenção do veículo (Foto: Assessoria)

 

Da Redação com Assessoria

 

Muito mais autonomia e empoderamento para as mulheres guarapuavanas! No último sábado (28), mais um importante passo foi dado pela diretoria da ACROL (Associação Comunitária Rocha Loures). Na ocasião, mulheres de todos os bairros de Guarapuava participaram do primeiro Curso de Mecânica Básica para Mulheres. A iniciativa, inédita no bairro, reafirmou o bom trabalho que vem sendo feito pela nova gestão.

“O curso foi pensado e estruturado com muito carinho pela diretoria da associação e demais associações parceiras da ACROL. Nosso objetivo maior foi quebrar os paradigmas de que as mulheres não podem se envolver com mecânica, bem pelo contrário, elas devem ser inseridas sim nesse meio, pois possuem potencial e dinamismo tanto quanto os homens. Foi uma honra receber a primeira turma do curso aqui na associação. Elas com certeza saíram com um conhecimento bem amplo, sabendo identificar desde os problemas corriqueiros no veículo até troca de algumas peças que evitarão futuramente que as mesmas sejam ludibriadas”, afirmou o presidente da ACROL, Glauberson Rocha.

Segundo Joel Ferrando, presidente da Associação de Moradores do Primavera, mecânico com mais de 30 anos de experiência e palestrante do curso, a oportunidade foi muito bem aproveitada pelas participantes. “Nessa primeira etapa do curso foi abordado uma visão mais global do veículo. Elas manusearam diversas peças além de como fazer a manutenção do seu próprio veículo, desde a identificação das peças até como trocar as mesmas sem custos de mão de obra, tirando dúvidas e se inteirando com o conteúdo teórico. No segundo módulo, elas terão a oportunidade de ir até a oficina para também aprender na prática tudo o que foi repassado a elas na teoria”, enfatizou Joel, acrescentando que todas as participantes receberão certificação.

Para o vice-presidente da UGAM (União Guarapuavana de Associações de Moradores), Ronie Batista, o curso oferecido na ACROL é um projeto piloto com potencial para ser desenvolvido futuramente em outras associações da cidade. “Quando a atual diretoria da UGAM assumiu o mandato em 2017 tínhamos muitos desafios, um deles era reativar as associações. Conseguimos em um ano através de muitos esforços conjuntos colocar novamente em funcionamento 40 associações, uma delas a ACROL. Ficamos muito contentes em apoiar iniciativas como essas, pois visam beneficiar diretamente a população guarapuavana”, acrescentou Ronie, que na ocasião representou a presidência da UGAM no curso.

A moradora da Vila Carli, Janete de Fátima, 42 anos, soube do curso pelas redes sociais, e não hesitou em se inscrever. “No momento que soube do curso logo fiz a inscrição, pois conhecimento nunca é demais. Algumas pessoas me questionaram falando que mecânica não é para mulher, mas não levei em consideração e participei do mesmo jeito. Costumo usar o carro sozinha, então vez e outra dá um probleminha e preciso levar até a oficina. Com o que aprendi no curso vou conseguir muitas das vezes arrumar eu mesma o veículo. Gostei muito e estou ansiosa pelo próximo módulo”, opinou Janete.

De acordo com a diretoria da ACROL, haverá outras turmas ainda este ano para o curso. “Há um ano atrás nós sonhávamos ver a associação funcionando a todo vapor. O espaço estava muito deteriorado, portanto unimos forças para revitalizar e hoje comemoramos não só a estrutura da associação mas todas essas oportunidades que os guarapuavanos estão tendo através dela. Queremos despertar futuras profissionais da área da mecânica em Guarapuava, e é por isso, que não vamos medir esforços para continuar oferecendo cursos, palestras, oficinas, capacitações entre outras atividades para toda a população do Rocha Loures”, finalizou o presidente da ACROL, Glauberson Rocha, agradecendo as parcerias da UGAM, demais associações de moradores da cidade, escolas municipais, colégios estaduais e Unicentro.

O manuseio de peças também fez parte do curso (Foto: Assessoria)