CIDADANIA  

Depen inaugura unidades de progressão em Guarapuava e Cascavel

Unidade de Progressão terá capacidade para custodiar 220 homens

O Departamento Penitenciário do Paraná inaugurou duas novas unidades de progressão nas cidades de Guarapuava e Cascavel. O objetivo é preparar os detentos por meio do trabalho e estudo a voltarem ao convívio social após o cumprimento de pena. O Paraná é pioneiro no projeto que é considerado modelo em tratamento penal no país.

“Esse é um projeto inovador em política penitenciária, pois buscamos viabilizar ferramentas para ressocializar o preso, transformando o indivíduo que, muitas vezes entra sem qualquer estudo ou qualificação profissional, em um indivíduo capacitado, devolvendo à sociedade muito melhor do que ele entrou”, diz o diretor do Depen, Francisco Caricati. “Todos os presos que ingressam neste projeto obrigatoriamente precisam trabalhar e estudar”, afirmou.

Um dos espaços inaugurados é a Penitenciária Estadual de Guarapuava – Unidade de Progressão (PEG-UP), com capacidade para custodiar 220 homens em regime fechado que irão trabalhar e estudar em tempo integral. A unidade foi instalada no espaço que antes era destinado ao regime semiaberto.

Em Cascavel, o projeto irá ocupar duas galerias da Penitenciária Industrial e irá atender 143 presos. Nas duas cidades, o Depen instalou ainda um Escritório Social e um Posto Avançado de Monitoração Eletrônica com o objetivo de ofertar atendimento e apoio aos usuários da tornozeleira eletrônica.

“O objetivo maior é que a inclusão social do reeducando aconteça de modo efetivo, o que significa um ganho para o sistema que vai cumprir a sua função social para a sociedade”, diz o supervisor do Grupo de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário e do Sistema de Execução de Medidas Socioeducativas do Tribunal de Justiça do Paraná, desembargador Ruy Muggiati.

PROJETO

Resultado de uma parceria do Governo do Estado com o Tribunal de Justiça, a unidade de progressão faz parte das ações do projeto “Cidadania nos Presídios” do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).